2 de 52

49713993_1180037085484048_2929912576345112576_o.jpg

2 de 52 semanas de um ano que será aquilo que dele fizermos.
Na verdade, os ciclos podem começar a qualquer mês, a qualquer dia, hora, a qualquer instante. Para alguns de nós é a 1 de Janeiro, para outros no dia em que celebram uma nova Primavera, para outros depois de umas férias, ou numa data especial… Esperamos por essas datas porque por alguma razão nos fazem sentido, porque nos permitem fazer um balanço dos 365 dias que passaram, ver o que percorremos, onde estávamos e onde nos encontramos, o que definimos e atingimos, o que almejámos e deixámos para trás. Mas porque esperamos por essa data para começar algo novo? Porque não começar a fazer esse trabalho todas as semanas ou, porque não, todos os dias? 
E se tirássemos hoje aquela pedrinha do sapato que nos mói dia sim dia sim, ou finalmente calçássemos os sapatos que estão encostados à espera do dia? Não amanhã, nem no fim-de-semana, nem quando o-que-quer-que-sintamos-que-esteja-a-faltar aconteça, mas hoje, agora? E se parássemos de adiar a vida?

É esta a nossa sugestão para hoje. À medida que crescemos o tempo parece que passa cada vez mais depressa. É uma ilusão, mas se é a nossa percepção, o que é que isso diz da maneira como estamos a construir a nossa vida? Haja vontade, haja coragem haja amor. É que, sabem, depois tudo acontece.