tempo e intenção.

Papas de aveia com figos.jpg

Coloca a tua refeição numa tigela bem quente, e pega nela. Sente o calor que lentamente penetra nas tuas mãos. Demora o tempo que precisares. Olha para o que tens à tua frente. Observa o que estás prestes a comer. Mais nada. Simplesmente observa. Depois, coloca o teu nariz bem próximo da tua refeição e sente todos os aromas que flutuam no ar com o vapor quente que sai da tigela. Fecha os olhos e cheira. Com tempo. Faz tudo isto com tempo. Depois numa garfada, ou colherada, vai comendo elemento a elemento separado. Repara na singularidade do seu sabor e textura, Depois de teres feito isso, por último tenta colocar na tua colher um bocadinho de tudo o que tens no prato e leva à boca. Compreende, observa, repara como agora tudo faz sentido junto. Repara como mesmo o ingrediente mais singelo que antes provaste sozinho, e que aparentemente não acrescentaria nada, pode fazer toda a diferença. 
Fazer as coisas com tempo e intenção. 
Compreender que só nos apercebemos da importância que algumas coisas tem quando já não estão lá. Tudo importa, tudo é essencial, tudo faz falta. 
É assim com uma refeição, é assim com a vida.