Fruta da época

 
DSC_0907 copy.jpg
DSC_0911 copy.jpg

Somos feito de estações, já sentiste?
Compreender que o Outono acontece fora e dentro - acima de tudo, dentro - de ti. Compreender a renovação, os ciclos que começam e terminam, ciclos que são para simplesmente estar e outros para fazer. Compreender e aceitar. É como a tristeza, a melancolia, a Primavera e o Inverno. Vai e vem. Deixa vir, deixa ir. Aproveita o que de melhor tem.

Tempo para estar é para olhar para dentro antes do tempo para fazer, quando estás pronto para olhar para fora, pronto para consumo. Como a fruta da época.
 

1+2.jpg

O dióspiro, quando é colhido cedo demais, não tem sabor, e quando é colhido tardiamente é mole e demasiado doce. Quando cai ao chão não dá para comer, cheira mal, apodrece, é tarde de mais. E é do Outono, para ser consumido no Outono, tal como a melancia só faz sentido no Verão, por muito que digamos que seriamos capazes de a comer o ano inteiro. 
Às vezes as coisas parecem estar perfeitas para consumo, mas depois vamos a provar e ainda estão duras, ácidas, verdes. É preciso conhecer bem a árvore para compreender o seu ritmo, o seu ciclo, o seu comportamento. Sê a árvore, conhece-te. Não é mais ninguém que vai dizer quando os teus frutos devem ser colhidos. Tu és. 
E rodeia-te de outras árvores e plantas boas, cheirosas, férteis, bonitas. Geram mais alimento, ajudam-te a crescer e ainda protegem dos incêndios. 

DSC_0915 copy.jpg
DSC_0918 copy.jpg